terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Lagrimas e saudades.. (parte I )



O céu estava cinzento devido ao dia chuvoso, algumas nuvens se misturavam com o por do sol, apesar de ser verão o clima parecia mais para um outono, um fim de tarde tipicamente de outono, alguns pássaros sobrevoavam os edifícios, os últimos raios de sol se despediam de mais um dia cheio e estressante,um homem já cansado e ansioso por um banho quente saboreava uma taça de vinho enquanto apreciava o sol dando espaço para a lua, que timidamente começava a tomar seu lugar, ela com todo o seu brilho emitia a mensagem de que a noite seria linda, algumas estrelas começavam a aparecer no céu cinzento, deixando-o mais colorido e mais perfeito...

Tomou mais um gole de seu vinho, enquanto escutava e observava algumas crianças brincando na vizinhança, um casal de jovens namorados caminhavam abraçados e juntos, um casal de idosos,que estavam sentados em um banco próximo, lhes davam a segurança e a certeza de que quando duas pessoas realmente sabem o que querem e estão dispostos a lutar por aquilo, o amor pode acontecer e ser eterno,afinal de contas a primeira impressão que se tinha daquele casal já em idade avançada era de que, apesar de todo o tempo o amor e a cumplicidade mutua sempre fizeram parte do cotidiano deles, só eles para saberem o que e quem enfrentaram para agora poderem estar em um estado puro de amor e paz, apenas aguardando a chegada da morte e tendo a certeza de que viveram todo o amor que lhe foi permitido da maneira mais intensa possível...assim como o amor deve ser vivido, intensamente.

Já não se via mais o sol, apenas um luar e as estrelas, as luzes do apartamento permaneciam apagadas, talvez a única iluminação artificial ali seria apenas o reflexo do display que vinha do mini system próximo a sacada, emitindo canções clássicas, repletas de arranjos e solos..a luz que a lua emanava ao encontrar com a taça de vinho, agora quase vazia, provocava um efeito visual alucinógeno...

Dirigiu-se para o banheiro, ligou o chuveiro e deixou a água escorrer enquanto esquentava e fazia o banheiro se encher de fumaça, aumento o volume do som para que pudesse escutar durante o seu momento de reflexão enquanto tomava banho, deixou a água percorrer por todo o seu corpo, como se estivesse em um ritual sagrado almejando a purificação de sua alma, lembrou das crianças que corriam pela rua sem nenhum compromisso e foi tomado por uma sensação de nostalgia, voltou a sua infância quando corria na chuva sem se preocupar com o que a vida viria a lhe trazer mais tarde, ao abrir seus olhos e se encarar no espelho a visão que teve foi muito diferente da que ele estava imaginando, tudo que viu foi um rosto cansado e sem brilho no olhar, aquele brilho que tinha quando criança lhe foi tomado em alguma parte da sua vida, talvez entre um dia e outro de trabalho, não estava certo de quando ou como, apenas sabia que tinha acontecido e ele não tinha se dado conta,uma lágrima pareceu se precipitar do canto de seu olho...
Acabou o seu ritual de purificação e ainda envolto em uma toalha branca foi novamente até a sacada para aproveitar mais um pouco daquele luar e do ar fresco que a noite lhe trazia,mais uma taça de vinho, uma TV agora iluminava o quarto trazendo lhe as noticias, ou melhor dizendo, as tragédias de mais um dia de caos em alguma grande cidade, deitou-se, encostou a cabeça e adormeceu...

De repente, quando o despertador marcava 3hs um barulho vindo da cozinha o acordou...

_____

Anderson Toledo Mendes - 15/02/2011 - Itajaí,SC

Fonte Imagem: http://www.flickr.com/photos/reginaldorrs/page5/

Um comentário: