sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Ctrl + C, Ctrl + V ... Dogs - Pink Floyd




Ultimamente ando sem saco pra muita coisa e muito irritado, to sem paciência até pra escrever, então hoje na cara dura vou apenas copiar a tradução de uma das muitas músicas do Pink Floyd que acredito fazer muito sentido,leia (se possível) escute e aproveite, no fim, você também vai concordar...

Você precisa ser louco, precisa ter uma necessidade verdadeira,
Você precisa dormir sobre seus dedos do pé e quando você estiver na rua , precisa ser capaz de distinguir a carne fácil com seus olhos fechados...
E depois movendo-se silenciosamente contra o vento e escondido, você precisa bater no momento certo e sem pensar...

E depois de um tempo, você pode trabalhar por status,
Como o clube da gravata e o do aperto de mão
Basta um certo olhar fixo nos olhos e um sorriso fácil...
Você tem que passar confiança para as pessoas que você mente,
E então quando elas lhe virarem as costas, você terá a chance de apunhala las,

Você tem que manter um olho sempre aberto e sabe que isto está ficando cada vez mais difícil conforme você envelhece...
E no fim você arrumará as malas, e voará em direção ao sul e esconderá sua cabeça na areia, apenas outro triste e velho homem sozinho e morrendo de câncer...

E quando você perder o controle, você irá colher o que plantou, e à medida que o medo cresce, o sangue ruim para de correr e endurece...
E é tarde demais para soltar o peso que você costumava jogar por aí
Então se afogue, enquanto você afunda sozinho, arrastado pela pedra..

Preciso admitir que estou um pouco confuso, as vezes me parece que eu estou sendo apenas usado...
Preciso ficar acordado, preciso tentar e sacudir esse mal-estar rastejante...
Se não estou pisando em meu próprio chão, como posso encontrar a saída deste labirinto?

Surdo, mudo e cego, você apenas continua fingindo que todo mundo é dispensável e ninguém tem um verdadeiro amigo...pra você a solução seria isolar o vencedor e assim tudo estaria resolvido..

E você acredita de coração que todo mundo é um assassino...

Quem nasceu numa casa cheia de dor?
Quem foi educado a não cuspir no ventilador?
Quem fez o que o Homem falou?
Quem foi traído pelos próprios amigos?
Quem foi vestido com coleira e corrente?
Quem levou um tapinha nas costas?
Quem foi arrastado para longe?
Quem era somente um estranho em casa?
Quem foi enterrado no final?
Quem foi encontrado morto ao telefone?
Quem foi puxado para baixo pela pedra?
Pense nisso...Anderson T Mendes, Camboriu-SC - 28/10/2016 Fonte imagem: http://thebaldkoala.deviantart.com/art/Pink-Floyd-Animals-Dogs-270732783]

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Um beija flor de outono



Era madrugada de outono, ele havia recém chegado da balada em uma cidade movimentada porém ainda pouca descoberta, ela? Ela estava há milhas e milhas dali, ambos iniciaram o contato através da web, ahh..a internet, esse emaranhado de conexões, vontades, desejos e decepções..

Começou com um boa noite besta, ele ainda alcoolizado e ela surpresa pelo contato, tentava desviar o assunto e se fazia de desentendida, provocava e jogava charme com ele, ele um tonto, um bobo, ia seguindo o caminho e caia nas suas graças..

Trocaram números, falaram coisas das quais não se lembrariam depois não fosse o histórico de conversa, ela ainda geograficamente distante porém próxima em sentimentos e desejo o que lhe era correspondido...

O tempo passou, ele cresceu, se adaptou e tomou novos rumos, ela também, agora já morava em alguma das capitais desse imenso e vasto país, já tinha encontrado um novo romance e já havia outro para trocar mensagens e sorrisos enquanto alcoolizada ou não, encontrou  alguém para lhe tirar aquele sorriso bobo e lindo, encontrou quem a amasse e a merecesse, ele tentava sobreviver a loucura e insanidade do dia a dia, entre uma dose e outra, entre um cigarro e outro, só fazia era se lamentar..

Ambos ainda conversam às vezes, são amigos, possuem um carinho mutuo, pena não poder revelar ao mundo, não poder gritar aos 4 cantos e não ser aquela que a faz feliz, pena tudo que resta a ele é uma canção e a lembrança do seu sorriso...garçom, volta a musica e me traga mais um dose, é o que lhe resta.


--------------

Anderson T Mendes, 13/10/2016 - Camboriu/SC

Fonte imagem: https://br.pinterest.com/pin/1337074869188404/

terça-feira, 15 de março de 2016

Entre sensações e devoções..




Acordou já era de madrugada, a tv repetia exaustivamente o som do menu de inicio do show que acabara de assistir, os acordes e solos de guitarra o faziam arrepiar, o cheiro que emanava do cinzeiro repleto de bitucas inebriava aquele cômodo pequeno..

Levantou-se e foi até a sacada, observou do 23º andar a vista que ali lhe era proporcionado, luzes até onde a vista alcançava, cachorros latiam alto, sirenes ecoavam pela madrugada e o vento lhe tocava no rosto dando uma sensação de alivio e frescor..

A cada rajada de vento uma nova suspirada, a cada suspirada uma velha lembrança lhe assombrava os pensamentos e a altura lhe fazia querer pular..

Decidiu tomar mais uma dose do seu velho e bom uísque, companheiro de todas as horas e acender mais um cigarro, a brasa queimava assim como seu coração ardia em chamas de desejo, paixão e vontade...

Tragava e expelia a fumaça pelo ar, deixando que a brisa levasse embora tudo aquilo, as preocupações, mágoas, rancores e ódio, juntamente com os arrependimentos que a vida lhe trouxe ao longo dos anos..

Decidiu então colocar o dvd pra tocar mais uma vez, começou a escutar os acordes juntamente com a orquestra, ergueu o som e passou a imaginar centenas de cenários imagináveis e possíveis, longe dali ,longe daquela realidade, daquela violência, daquele ódio e rancor, daquela pressão que o fazia ir trabalhar todo dia com uma arma apontada pra sua cabeça sem saber se no fim daquele exaustivo dia ainda teria seu emprego de volta..

Puxou do fundo da gaveta um álbum de fotografias, daquelas que foram reveladas há alguns anos atrás, a cada página que passava lhe era revelado um passado que talvez seria melhor esquecer, apagar da memória, fingir que jamais tinha passado por aquilo, mas não era possível, infelizmente não era, por mais que tentasse seu subconsciente havia tatuado no fundo do peito aquelas cenas e só lhe restava o arrependimento...ou as lembranças..

Olhou novamente para a sacada, viu a brisa que soprava entre as folhas do coqueiro, correu em sua direção e  saltou, saltou buscando voar, saltou tentando achar um sentido pra aquilo, um mix de emoções, um mix de amores e arrependimentos, um mix de querer e não poder, um mix entre vontades e obrigações..

Naquele momento, ali, ele podia ser livre, podia voar, podia ver tudo passando em alta velocidade, as janelas acessas nos prédios ao lado passavam rapidamente pelo campo de sua visão e nesse exato momento um grito ecoou do fundo de sua garganta, um grito de liberdade, um grito como se fosse um prisioneiro que agora podia ser livre e se sentir sem suas correntes, um grito profundo e sincero...sentia cada vez mais próximo ao chão e podia escutar o espanto das pessoas, nesse momento entre gritos assustados e desesperados pode escutar um som familiar, um som irritante e alto, um som conhecido e desprezado por ele, era o som de seu despertador...Simplesmente despertou, acordou em sua cama imensa... imensa e vazia, buscou lhe a companhia ao alcance do braço e não encontrou nada a não ser a solidão, decidiu então levantar para mais um dia que o esperava...


=======================================

Anderson T Mendes, 15/03/2016 - Camboriú,SC

Fonte imagem: http://taniagorodniuk.blogspot.com.br/2012/04/resolvi-subir-ao-ceu.html

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Fim & Início...


É fim de tarde, fim do dia, fim de mês, fim do salário...
É fim de tarde, fim da claridade, fim das obrigações, fim dos afazeres...
É fim de tarde, fim das férias e das incomodações, fim dos aborrecimentos...
É fim de tarde, fim da saudade, fim da garrafa e fim da música...
É fim de tarde, fim de um ciclo, fim de uma dor...
É fim do sol e inicio da lua...
É fim e é inicio...
Inicio de um novo dia, um novo mês e um novo salário...
Inicio das atribuições e dos afazeres...
Inicio de uma nova vida, de um novo amanhecer e depois de outro anoitecer...
Inicio de mais um renascimento e mais afazeres...
Inicio de mais incomodações e de uma nova claridade...
Início de mais um ano com incertezas e vitórias para se conseguir novas férias..
Início de um novo dia, um novo sol, novos problemas e nova vida...
Início de um novo ciclo, de um novo sorriso e de um novo dilema...
Inicio de uma nova e desafiadora garrafa...
Início de mais um solo de guitarra, mais uma música..
Inicio de mais uma dose, mais um trago..
Inicio de mais um suspiro ,mais um abraço, mais um beijo...

É fim e é inicio, pois tudo que se acaba dum jeito começa de outro, afinal de contas, aonde começamos é aonde terminamos...
________________________________________

Anderson T Mendes - 30/11/2015
Camboriú-SC

terça-feira, 14 de julho de 2015

Apenas mais um pesadelo...




Me acordou de madrugada, rosto suado e respiração ofegante, perguntei o que havia e ela não conseguia me responder, era incapaz de formar palavras ou frases completas, apenas balbuciava alguma coisa..

Insisti e perguntei de novo o que estava acontecendo, era uma noite fria e chuvosa, o vento uivava ao passar pela janela, pela greta da janela eu podia ver uma fraca iluminação do poste em uma arvore, ela balançava seguindo o vento, era como se eles fizessem uma dança, um ritmo, uma sintonia perfeita ,a arvore e o vento, era como se o vento ditava  passo de uma dança, um tango, uma valsa, uma salsa talvez, não sabia distinguir só sabia que era perfeito, mas fui tirado desse transe pelas mãos dela me tocando e tentando dizer algo, ver aquela cena era algo agonizante, ela estava ali, ao meu lado, a mulher da minha vida, sufocando em alguma espécie de sonho ou pavor e eu nada podia fazer..

Ofereci-lhe um copo de água e ela acenou que sim com a cabeça, corri até a cozinha, abri a geladeira e não encontrei uma garrafa sequer, todas aquelas que antes de eu deitar estavam cheias agora estavam vazias, corri para a torneira e nada, nenhuma gota, comecei a entrar em pânico, voltei para o quarto e ela não estava mais na cama, estava na sacada, apoiada sobre o parapeito da sacada, uma de suas pernas já estava do outro lado e naquele momento eu pude entender que ela estava querendo se atirar...

Corri para a sacada e ela então conseguiu falar, e com muito esforço disse: “Pare! Não se aproxime”, parei bruscamente na porta, uma sensação de impotência e desespero começava a permear o um corpo, me senti como um refém na mira da arma de um assaltante  e simplesmente não conseguia entender o que estava acontecendo, pedi para que não fizesse aquilo, que não importava qual fosse o problema iriamos superar juntos,como sempre fizemos, não importava qual fosse o tamanho, ela sabia tanto quanto eu que, sempre dávamos um jeito, ela sorriu,sorriu  ao lembrar disso, sorriu daquele jeito que só ela sabe, um sorriso sincero, simples e apaixonante e com ele fechou os olhos, e disse “não se preocupe, nos vemos em breve,apenas não aguento mais ser perseguida pelos monstros, eles me cercam, me rodeiam e aonde eu vou, lá estão eles, me encarando, me sugando todas as energias e tudo o que tenho de bom, espero que não o suguem também” e terminando de falar isso, abriu os olhos, me encarou, sorriu novamente e se jogou...

Foi ao correr até a sacada e perceber que não havia nada lá embaixo, nem rua, nem chuva, arvore ou vento sequer que eu pude perceber ser um apenas um pesadelo e então acordei, era de madrugada, o relógio na cabeceira marcava 03:30h, a chuva caia forte lá fora e batia na vidraça, ainda podia ver a mesma árvore através da fresta de luz que passava pela janela, ainda conseguia ver a dança da árvore e do vento, mas o mais importante disso tudo é que eu via ao meu lado um belo e comprido cabelo dourado, uma respiração tranquila e o que parecia um sono muito tranquilo..


Respirei fundo, sorri e voltei a dormir, me sentindo o cara mais feliz e completo do mundo..

_____________________________________

Anderson T Mendes - Camboriu-SC, 14/07/2015

Fonte imagem: http://2.bp.blogspot.com/ekW0FKdAGqI/UPDION9MEHI/AAAAAAAAB14/5jCeTSQXPwg/s1600/chuva.gif

quinta-feira, 12 de março de 2015

Rumo ao desconhecido...



As vezes a vida nos reserva algumas situações que exigem decisões não tão fáceis, são momentos decisivos, momentos em que se tem que pensar e muito no próximo passo, momentos em que o coração aperta, o frio na barriga é cada vez mais presente e quando menos se percebe aquilo que mais te mete medo é a sua nova realidade, é o seu novo estilo de vida...

Nesses momentos não se tem muito o que fazer, estamos nessa vida de passagem e precisamos aproveitá-la o máximo possível, viver cada segundo como se fosse o ultimo, aproveitar cada chance e cada oportunidade que nos é dada todos os dias, teoricamente, não tem segredo..

O medo é normal, o desconhecido gera medo, todos os nossos sonhos vêm acompanhado do medo, medo de não dar certo, medo de não ser feliz, medo de não fazer feliz, medo de não ser tão bom quanto deveria, medo de falhar..mas acho que já passou da hora de deixar esse medo de lado, encher o peito, (dizem que...tudo que você precisa é de 20s de coragem), respirar fundo, olhar pro lado e ver que quem te acompanha tem os mesmos medos que você, olhar pra trás e ver com orgulho o que lá ficou, olhar pra frente e ver o caminho a ser percorrido, caminho esse que esconde pedras, espinhos, armadilhas mas que também reserva alegrias e felicidades, glórias e vitorias e nada melhor do que uma boa companhia pra encarar essa estrada tão incerta que é a vida..


Devemos ainda lembrar-se de todos aqueles que até aqui nos acompanharam e que sabemos que nos acompanharão pela frente ainda, amigos, colegas e irmãos, sem duvidas poderemos sempre contar com eles, e quando olhar pra trás mais uma vez, lembrando de forma nostálgica aquilo que já passou, com quem se passou, lembrar sorrindo e pensar..”meu, como tive sorte em ter essas pessoas comigo e como foi bom o que se passou...” olhar pra frente, respirar mais fundo ainda, segurar firma nas mãos daquela que escolheu e aceitou percorrer contigo esse tão desconhecido caminho e pensar..é pra frente que se anda..você, seja bem vinda a minha vida, bem vindo ao caminho mais incerto possível, que possamos caminhar juntos rumo ao desconhecido e a felicidade, que não esqueçamos nunca de que somos acima de tudo cúmplices e amigos, somos namorados, marido e mulher, somos também amantes, façamos dessa nossa viagem a melhor possível...simplesmente te amo!

Fonte Imagem: http://qpt.com.br/wp-content/uploads/2014/03/maos-dadas-Medium.jpg

__________________________

Anderson T Mendes - Baln. Camboriu, 13/03/2015

quarta-feira, 4 de março de 2015

Madrugada adentro...


Despertou de madrugada, a luz da TV iluminava o quarto e um pastor berrava tentando exorcizar o suposto demônio no corpo de uma pobre e inocente vitima, uma senhora de idade e de pele escura, ela tinha os olhos distantes e parecia de certa forma realmente possuída por alguém ou alguma coisa...enfim, se deu conta de estar prestando atenção em uma coisa que não lhe acrescentava em nada e nem sequer trazia sentido...

Notou então a cama vazia, a cama que um dia já foi pequena para tanto amor e afinidade hoje era grande demais para tamanha solidão, decidiu então desligar a tv e encarar o teto enquanto a luz do poste transpassava a cortina e projetava uma sombra na parede, uma sombra no mínimo tão diabólica quanto o demônio que invadia o corpo daquela pobre senhora na TV..

Tentou eliminar as coisas ruins de seus pensamentos, buscou recordações boas e alegres para tentar eliminar as más, encarou novamente as sombras na parede e assemelhou as à sombra de um passado não tão distante...


Na cabeceira da cama um cinzeiro emanava um cheiro forte e uma brasa ainda tentava queimar, ao lado, um copo com água no fundo, água essa que antes era gelo e se misturava com o resto de uma dose de uísque, era incrível como aquela bituca de cigarro parecia estar buscando uma ultima respiração, um ultimo suspiro... e ele assim como a brasa, deu um ultimo suspiro e apagou...

__________________

Anderson T. Mendes - Baln. Camboriu,SC