sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Lembranças que as ondas não carregam...



A noite está quente e a lua está linda, em seu lugar de sempre, iluminando os casais apaixonado e o mar que me toca os pés, a água esta gelada, as ondas vem e vão numa sincronia incrível, é perfeito, é lindo, é maravilhoso..

A garrafa de whisky está pela metade, o relógio colocado na praça marca 00:45hs, uma brisa leve beija o meu rosto, mais um gole do copo que já não tem mais nem gelo, mais uma tragada do cigarro, um dia a menos de vida será? Quem se importa? Há tempos que não me sinto vivo..

Já não tenho mais tanto cabelos como um dia tive, já não tenho mais tantos desejos como quando criança, meus sonhos mudaram, minha vida mudou, meu objetivo agora são outros, tudo esta diferente e é tão...diferente.

Eu que já estive num lugar mais calmo, já estive em vários lugares, eu que já pensei e imaginei tantas coisas, quisera algum dia ter pensado nisso, nesse momento, abro a garrafa e despejo outra dose no copo sujo com areia, areia do mar, areia branca e fina, areia que se renova a cada maré..

Escuto vários sons, consigo discernir poucos, o mar é impossível não conhecer, o barulho das ondas quebrando, o carro nas ruas, a risada dos casais sentados no banco a beira do mar, a beira da praça, meu telefone continua sem tocar, sem sequer emitir um som, nada, está parado..

Decido colocar um som, sim, estou sozinho sentado a beira mar, tenho ainda meia garrafa de whisky e por que não colocar uma musica de qualidade? A duvida é, qual das? Rock progressivo como o bom e velho Pink Floyd de sempre, com suas guitarras, seus vocais e suas percussões ou o mais recente som nacional, aquele que ainda consegue se diferenciar entre tantas modinhas, sim, o vocal de um cara completamente tatuado com letras e melodias significantes, ou ainda, o piano de uma outra banda estrangeira tocando e ensinando como viver a vida, ou ainda o eterno som de um blues? Não sei...

Mais um brisa gelada toca meu rosto, uma respirada um pouco mais forte, o cheiro que o mar exale me faz sentir vivo novamente, me sinto livre, me sinto renovado, o vento começa a soprar mais forte, parece que vai chover, a lua passa a ser encoberta por uma nuvem negra, isso não vai abalar em nada, nuvens negras vivem presente em meus dias e costumam a passar logo após um vento que traga noticias e vibrações positivas...

A garrafa de whisky agora está chegando ao final, o relógio que ainda pouco marcava o inicio de uma madrugada passa a anunciar a sua metade, são 3:40h e eu me encontro deitado na areia fria, observo as estrelas que parecem tão próximas, alguns asteróides e meteoritos cortam o céu, e a lua ainda não deu sinal..acho que essa noite não terei o luar, mas acredite, pode a lua não estar ali, mas o meu pensamento segue em você..que saudade.

Anderson Toledo Mendes - Baln. Camboriu,SC
 ______________
Fonte Imagem: http://dionisioleitao.wordpress.com/2007/08/06/do-livro-do-desassossego/

Um comentário:

  1. Eu gosto da profundidade do seu texto, e também da maneira como se entrega.
    Embora um blog não seja necessariamente um diário, tem muito da gente descrito ali.

    Gostei especialmente de:

    "já não tenho mais tantos desejos como quando criança, meus sonhos mudaram, minha vida mudou, meu objetivo agora são outros, tudo esta diferente e é tão...diferente".

    Embora a gente vá para longe, tem algumas coisas que sempre vão estar perto, algumas mal resolvidas e outras simplesmente dentro, bem dentro da gente.

    Um beijo.

    ResponderExcluir