quarta-feira, 4 de março de 2015

Madrugada adentro...


Despertou de madrugada, a luz da TV iluminava o quarto e um pastor berrava tentando exorcizar o suposto demônio no corpo de uma pobre e inocente vitima, uma senhora de idade e de pele escura, ela tinha os olhos distantes e parecia de certa forma realmente possuída por alguém ou alguma coisa...enfim, se deu conta de estar prestando atenção em uma coisa que não lhe acrescentava em nada e nem sequer trazia sentido...

Notou então a cama vazia, a cama que um dia já foi pequena para tanto amor e afinidade hoje era grande demais para tamanha solidão, decidiu então desligar a tv e encarar o teto enquanto a luz do poste transpassava a cortina e projetava uma sombra na parede, uma sombra no mínimo tão diabólica quanto o demônio que invadia o corpo daquela pobre senhora na TV..

Tentou eliminar as coisas ruins de seus pensamentos, buscou recordações boas e alegres para tentar eliminar as más, encarou novamente as sombras na parede e assemelhou as à sombra de um passado não tão distante...


Na cabeceira da cama um cinzeiro emanava um cheiro forte e uma brasa ainda tentava queimar, ao lado, um copo com água no fundo, água essa que antes era gelo e se misturava com o resto de uma dose de uísque, era incrível como aquela bituca de cigarro parecia estar buscando uma ultima respiração, um ultimo suspiro... e ele assim como a brasa, deu um ultimo suspiro e apagou...

__________________

Anderson T. Mendes - Baln. Camboriu,SC 

Nenhum comentário:

Postar um comentário