segunda-feira, 17 de maio de 2010

"Um dia comum..."



"Acordou pensando que seria apenas mais um dia comum.seguiu com o protocolo de sempre, eram 7hs da manhã, sentado a beira da cama tomava um café quente enquanto ouvia as noticias, olhando para a cama percebeu que ela ainda estava dormindo, lembrou de como a noite havia sido boa ao lado dela, a fumaça que saia da xícara se misturava com a que vinha do banheiro, aonde um chuveiro quente derramava água...foi para o seu banho como de costume, deixava a água percorrer todo o seu corpo, e aos poucos ia se lavando..enquanto a água caia sobre a sua cabeça ele se sentia agraciado, como se estivesse tomando um banho de chuva na sua infância...

Saiu do banho, observou o sono em que ela estava inebriada, parecia um anjo, uma criatura desenhada com o maior cuidado, ficou admirando quão belo era a figura daquela linda mulher, cabelos negros, pele aveludada como a de um pêssego, lábios carnudos e que despertam o desejo de muita gente, sua respiração era algo magnífico, acendeu seu cigarro, dirigiu-se a sacada do prédio ainda envolto em sua toalha branca, enquanto tragava observava as pessoas que corriam para os seus compromissos, todas apressadas, semblantes tristes e preocupados, mais um trago, mais um gole de café quente...Estou confuso foi o que ele pensou, e olhou para a cama...ela ainda dormia...se viu perdido no meio de tantos fatos, acontecimentos, tanta gente,...se sentiu como se tivesse no meio daquela multidão toda, buscando um sentido pra sua existência, tentando desvendar vários mistérios e sonhos que o vinham assolando há algum tempo, ele queria poder resolver mas não conseguia, tava ficando cada vez mais difícil e confuso.. será que to fazendo a coisa certa? To indo pelo caminho certo? O que é certo e o que é errado a essa altura do campeonato? Se perguntava sem cessar, quando de repente uma onda de calor toca em seu corpo, ele sente uma caricia em seus cabelos que descem pelas suas costas e escuta apenas o sussurrar de uma voz de veludo lhe desejando bom dia, era isso o que ele precisava, isso o colocou de volta a realidade, e ele pode ter certeza que era sim...a escolha certa!

Apesar dos compromissos ele sabia que tinha tempo de sobra ainda, a vida é longa, então aproveite cada momento e faça eles valerem a pena, deu um abraço apertado e um beijo com todo o desejo que tinha e a levantou em seu colo, deitou-se na cama e começou a transar de uma forma inigualável, era como se o mundo todo tivesse em sintonia com eles, não tinha mais som do rádio com as notícias, nem o barulho infernal dos carros, nem telefone ou televisão. Só o que se ouvia eram gemidos e a respiração ofegante dela em seu ouvido... “maiiiisss, maiiiiss...vaiiii” era o que ela pedia...e assim aconteceu, fizeram amor na cama, no chão, encostado na parede, no chão do banheiro...transaram como jamais haviam feito antes, e o olhar de satisfação e cumplicidade dos dois era algo lindo de se ver...até que ambos gozaram e caíram num sono profundo, ficaram deitados ali durante horas...novamente a voz aveludada o acorda dizendo... bom dia meu amor...e o dia começa, ele a observa e ela sorri...”que sorriso” pensa ele...”como eu tenho sorte” concluiu..."


Anderson Toledo Mendes - Nova Londrina, PR

Nenhum comentário:

Postar um comentário