domingo, 10 de janeiro de 2010

Madrugada negra...


Era madrugada e ele vinha dirigindo seu carro por uma deserta avenida, olhou para o seu celular e não havia nenhuma msg ou chamada, mto menos a foto dela cuja vivia estampada como papel de parede, havia apenas o relógio marcando 1:35hs, ele entao percebeu que algo havia saído errado e decidiu tentar consertar as coisas, dirigiu-se rapidamente para a frente da casa onde ela costumava durmir qdo era menor, foi na busca de encontrar uma luz acesa ou um vulto, um sinal de vida que fosse, ele queria e precisava saber que ela estava bem.


Tentou inutilmente ligar, mandar msg mas não obtia resposta, o relógio já marcava 1:45hs e o celular continuava sem a foto dela... foi então que ele decidiu ir dar uma volta, olhou para o "pé do banco do carona"e viu que tinha uma garrafa de whisky já nos seus goles finais (resultado de uma festa da noite passada).. ainda com o carro parado em frente daquela casa branca situada em uma rua paralela e calma, olhou para a sacada que se iluminava com a luz cheia e o céu limpo, olhou para as janelas buscando uma luz acesa e nada...não havia um só sinal, nem a imagem dela naquela mesma sacada que havia visto há algumas noites atrás estava lá, noite essa onde só se via seu rosto iluminado por um brilho, mas não nessa noite...nessa noite ela simplesmente não estava lá.


Decidiu então tomar uma dose de whisky e teve a sensação de que tinha alguém naquela sacada olhando para ele com desprezo, mas não passou de sensação, pegou seu carro e foi pra rodovia, dirigia a uma velocidade média de 100km/h, a lua continuava iluminado seu caminho e a rodovia e no som rolava um clássico do pink floyd, ele sabia que só assim poderia relaxar melhor e quem sabe encontrar o sono, ou até mesmo afastar da cabeça as ideias ruins, mas não naquela noite, eis que em uma certa altura da BR passa um animal na frente do seu carro, ele dirigia a mais de 140km/h e ficou impossível frear, ele apenas teve o intuito de desviar e acabou subindo em cima do barranco que emparelhava com a rodovia, o carro capotou e tudo que ele viu então foi um céu negro e uma lua cheia e esplandecente,sentia as ferragens do seu automóvel rasgar sua pele e sentiu algo quente em seus olhos, era seu sangue, mas toda essa dor era transpassada pela dor emocional de ter feito algo que a afastasse dele e de não a ter visto naquele dia, entre o céu negro e as ferragens apareceu uma luz indescritível e com um brilho descomungal,um brilho mais forte que o da lua, ele não sabia se era indescritível por causa do sangue que passava pelo seu olho, ou se era pela dor, tudo que ele pode ver foi quando o "objeto"se aproximou, notou então um ser trajando vestes longas que o estendeu a mão e foi aí que ele concluiu que havia chegado a sua hora e que seu anjo havia vindo buscá-lo...


...Nesse momento começava a tocar outra música do pink floyd, mas essa não vinha do seu toca cd player, mas sim de seu celular, era o despertador avisando que tava na hora de acordar, dessa vez então olhou pro celular e viu que eram 7hs e que ali havia uma foto dela como papel de parede, uma linda foto diga-se de passagem, ela trajava um lindo conjunto xadrez, ele olhou sorriu e disse..."não passou de um sonho ruim" e levantou-se!

4 comentários:

  1. òtimo conto meu amigo....não conhecia seu dom por este gênero..abraços

    ResponderExcluir
  2. meu amigo...vc tem o dom, acredite me senti dentro dessa "estoria" tal era a riqueza de detalhes,fiquei aflita, e adorei o fim.Parabens!!

    ResponderExcluir
  3. Hey Anderson! Mto bom seu texto..já no fim, ia me perguntando se não passava de um sonho. Certa previsão! Sinto uma mistura de realidade com ficção! Bjs

    ResponderExcluir